BEM-VINDO!!!

Aonde fores, por onde fores, encontrarás palavras. Nem sempre tão belas. Mas podes torná-las melhores que
são. Um abraço! Marcio Campos

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Levaram-na de mim...

Lembro-me daquela escolinha onde frequentava o pré-escolar.
Ah! a Tia era doce como ninguém jamais fora durante a minha vida estudantil.
Lembro-me de cada música que ela nos ensinara nos dias felizes de minha infância.
Eu, pequenina, em meus vestidinhos de seda, alvos e rodados, sempre com uma rosa roxa pregado no cintinho que enlaçava minha cintura, cantava aquelas canções com a alegria viva da criança...
"cai cai balão
cai cai balão
aqui na minha mão..."
"O cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada
O cravo saiu ferido
E a rosa despetalada..."
"A barata diz que tem 
Sete saias de filó 
É mentira da barata
Ela tem é uma só..."
e tantas outras.
Meus coleguinhas eram uns amores, mas a Malva era a que eu menos gostava. era maior que todos nós. Tinha um ar de mandona e batia em quase todo mundo, por isso não gostava muito dela.
Mas em meu mundo encantado, esquivava-me dela, e sempre estava rodeada de meus doces amiguinhos.
Quando não estava em festa com a turma eu me sentava num balancinho, encostado em um canto, e enlevada pelo doce balanço abria minha caixinha que mamãe me dera e lá ficava a balançar e olhar para seu interior. 
Quantas vezes, fui despertada pelo soar do sino a tocar dizendo que era hora voltar para a sala de aula.
Quando isso acontecia, fechava minha caixinha de madeira que tinha um fecho à frente e em cima uma pintura de uma rosa roxa com matizes brancos e roxos claros que mamãe fizera. 
Num dia desses em que não estava tão festiva peguei minha caixinha e fui para o balanço. 
As outras crianças, e eu me certificara disso, estavam nos outros brinquedos  brincando distraídas, e furtivamente, como sempre fazia, lá fui eu.
Abri minha caixinha, comecei a balançar e, dentro dela, mergulhei na canção que mamãe sempre cantava para mim. Ela a adaptara para cantar só para mim.
" Terezinha de Jesus
De uma queda foi ao chão
Acudiram três cavalheiros
Todos três chapéu na mão
O primeiro foi  seu pai
O segundo seu irmão
O terceiro foi a Mamãe
A quem a Teresa deu a mão
Da laranja quero um gomo
Do limão quero um pedaço
Da menina mais bonita 
quero um beijo e um abraço."
Quando terminava me elevava aos céus, me rodopiava e abraçava-me entre risos e me beijava sem parar.
Enlevada pela recordação da doce voz de Mamãe viajava naquele doce balançar, que era quase um ninar, quando fui despertada por um empurrão. Recobrei os sentidos do susto que levara quando vi-me sem a caixinha na mão. 
Malva a pegara e, com seus pés, pisoteara a caixinha.
Não satisfeita, ao descobrir que algo havia nela, pegou seu conteúdo, ostentou-o como um troféu para que todos soubessem o meu segredo.
Agora todos sabiam meu segredo. Mas, ela malvada como era, pegou a foto de Mamãe e rasgou-a em pedacinhos pequeninos.
E levaram-na... mais uma vez, de mim. Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

12 comentários:

Anne Lieri disse...

Que história mais triste de bullying!Infelizmente tem crianças que são mesmo assim,invejosas das outras!Lindo e comovente relato!Bjs,

Anne Lieri disse...

Que história mais triste de bullying!Infelizmente tem crianças que são mesmo assim,invejosas das outras!Lindo e comovente relato!Bjs,

Anne Lieri disse...

Que história mais triste de bullying!Infelizmente tem crianças que são mesmo assim,invejosas das outras!Lindo e comovente relato!Bjs,

Van disse...

Ai que crueldade!

Lindo este seu conto. Memórias sempre nos transportam, às vezes para os bons tempos e sentimentos, ás vezes nem tanto.

Bom fim de semana, Marcinho!

Vivian disse...

Olá,Bom Dia!!

Que texto envolvente!! Mas que pena...uma maldade com a menininha...infelizmente acontece.
Beijos pra ti!!
Tenha um lindo dia!!

Dri Viaro disse...

q lindo texto!!

bjs

AFRICA EM POESIA disse...

Adorei passar por aqui

BEIJOS

Lindalva disse...

Recebi rosas roxa e vim deixar-te beijos dourados. Como sempre estou naquela correria por conta da aproximação das férias e Mesmo não fazendo visitações com frequência farei dois eventos na Ilha e deixarei o salão de festas arrumado para os aniversariantes de setembro (falando nisso qual a data de teu aniversário? kkkkk) deixarei marcas para eu estar sempre presente na minha ausência. Um beijo enorme no coração e uma continuação com leveza e paz!

AFRICA EM POESIA disse...

DEIXO a flor mais linda que conheço


A ti...
Flor de porcelana...
Que no meu jardim...
Floria...
E me deixava feliz...
E que recordo...
Com muita saudade...
E deixo...
Nestas linhas...
Uma singela homenagem...
À flor...
Mais linda...
Que Angola tem...
E que o mundo já viu...

LILI LARANJO

AFRICA EM POESIA disse...

DEIXO a flor mais linda que conheço


A ti...
Flor de porcelana...
Que no meu jardim...
Floria...
E me deixava feliz...
E que recordo...
Com muita saudade...
E deixo...
Nestas linhas...
Uma singela homenagem...
À flor...
Mais linda...
Que Angola tem...
E que o mundo já viu...

LILI LARANJO

FLOR DO LÁCIO disse...

Lili que lindo seu carinho, obrigado.

AFRICA EM POESIA disse...

MARCIO
Um beijo e obrigada pela sua visita

ao meu cantinho
A partilhar aprendemos muito, tenho a certeza